“Quero que Suape seja o principal porto de abastecimento de combustíveis do Brasil ainda em 2020”

Em participação durante videoconferência promovida pelo Fórum Brasil Export e Nordeste Export a patrocinadores e membros de seus comitês organizadores, o presidente do Porto de Suape, Leonardo Cerquinho, disse que a equipe do complexo portuário está trabalhando com o objetivo de se tornar o principal ponto de abastecimento marítimo de combustíveis da costa brasileira até o final deste ano de 2020. O porto pernambucano tem vocação para a operação de granéis líquidos, segmento responsável, no último mês de março, por 77% de toda carga movimentada em Suape. De acordo com informações da Petrobras e do Ministério de Minas e Energia atualizadas em 2019, o Brasil dispõe de 14 pontos de fornecimento de combustíveis marítimos.

Entre os trunfos de Suape, Cerquinho destacou a grande capacidade de tancagem, o processo que vem destravando burocracias junto à Refinaria Abreu e Lima, instalada no complexo portuário e administrada pela Petrobras, e as negociações para exportação do “bunker 2020“, em especial para Cingapura. De acordo com estudo da UNCTAD, publicado em 2012, o bunker representa 35% do valor do frete marítimo de um petroleiro com capacidade de carga de 10 mil toneladas. O preço do bunker 2020, adotado por ter composição que polui menos o meio ambiente, é fundamental para a competitividade no mercado internacional, portanto.

Segundo o documento “Oportunidades na Produção e no Abastecimento de Combustíveis no Brasil“, produzido pela Agência Nacional de Petróleo (ANP), “o Porto de Suape, um dos principais portos de abastecimento, realiza uma movimentação significativa de diversos combustíveis, mas em termos relativos é mais importante para o abastecimento nacional de GLP, uma vez que ele concentra o recebimento da maior parcela de importação desse combustível” em toda a costa brasileira.

(Texto Bruno Merlin)