Ministério da Infraestrutura aposta na Ferrogrão para gerar 160 mil empregos e reduzir em R$ 20 bilhões o custo logístico do setor produtivo

O Secretário-Executivo do Ministério da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, realizou uma apresentação exclusiva aos conselheiros do Fórum Brasil Export sobre as ações da pasta referentes à melhoria da logística de escoamento da produção do agronegócio pelos portos do Arco Norte nesta segunda-feira, 17 de maio. A iniciativa foi liderada pelo Conselho do Norte Export, presidido por Sergio Aquino, também presidente da Federação Nacional das Operações Portuárias (Fenop).

Assista a seguir o vídeo completo do encontro online:

Sampaio observou existir uma demanda reprimida do agronegócio que tem usado a estrutura de transportes na direção dos portos da região Sudeste do País. “O Arco Norte é um esforço de quebra de paradigma, um esforço do Estado em conjunto com o setor privado para desenvolver infraestrutura [de forma que] a produção acima do Paralelo 16, em especial, siga em direção ao Arco Norte”.

O Secretário-Executivo destacou a importância da Ferrogrão (EF-170 MT/PA) e o impacto que esse trecho ferroviário pode ter na competitividade da produção nacional. “A gente pensa ser um projeto muito atrativo, sem restrição à participação estrangeira e à formação de consórcios. Isso é importante pra gente ter atração principalmente de fundos para investimentos no País. Há players interessados, principalmente quando falamos de segurança alimentar lá no Oriente”.

Imagem da apresentação feita por Marcelo Sampaio ao Conselho do Norte Export

O trabalho pelo desenvolvimento da Ferrogrão também tem um importante viés de sustentabilidade, já que a projeção é de reduzir em 50% a emissão dos gases do efeito estufa e de retirar até 1 milhão de toneladas de CO2 da atmosfera. “Nossa expectativa é movimentar 48,6 milhões de toneladas em 30 anos, gerar 160 mil empregos e reduzir em quase R$ 20 bilhões o custo logístico de nossa produção. A previsão é viabilizar o nosso agro pelos trilhos no 2º semestre deste ano com o leilão de concessão“, concluiu Sampaio.