Luís Capella do Porto do Açu integra o comitê orientador do Sudeste Export

Luís Capella, Gerente Comercial Armador, Container e Cabotagem do Porto do Açu, também integra o Comitê Orientador do Sudeste Export, coordenado por Henry Robinson, do Grupo MSC. Formado em Administração de Empresas pela Universidade Metropolitana de Santos,  Capella possui larga experiência de mais de 20 anos nas áreas de Comércio Exterior e Logística, tendo atuado em empresas líderes de mercado como Hamburg Sud/ Aliança, Grupo Libra e Grupo Rodrimar. No Porto do Açu desde 2018, ele é responsável pela consolidação de volume de cargas transportadas por contêineres, bem como pela atração de investimentos para o desenvolvimento de parcerias em serviços logísticos. Capella está entusiasmado com a participação no evento, que terá lançamento na próxima segunda-feira (9), em Santos, e comenta sua expectativa: “Temos certeza que os eventos regionais são essenciais para integrarmos, com eficiência e colaboração, todas as regiões do País durante a Export 2020. Esse modelo reflete as melhores tendências de mercado, e acreditamos que o resultado será muito positivo”.

Para ele, o Sudeste Export também terá como foco os desafios da sua região: “Acredito que os maiores desafios se assemelham aos desafios macroeconômicos nacionais, mas para os quais vemos uma perspectiva muito positiva. Em nossa região, na verdade conseguimos superar importantes desafios que apoiarão nossa conectividade. Neste contexto, podemos mencionar a RJ-244, corredor logístico que irá interligar o Porto do Açu diretamente à BR-101 Norte, rodovia que será concessionada pelo governo do Estado do Rio de Janeiro nos próximos meses, e que irá possibilitar o acesso direto do porto a uma rodovia federal moderna, de alta capacidade, reduzindo o custo logístico para a movimentação de carga. Além disso, recentemente entregamos os estudos da EF-118 (Ferrovia Rio – Vitória), que criará um anel ferroviário integrando todos os estados da região Sudeste”. Para 2020, sua visão é otimista: “Nossa previsão é encerrar 2019 com índices positivos em todas as nossas operações, e observamos uma retomada de indústrias importantes para o desenvolvimento do Açu. Finalizamos a primeira fase, com a consolidação da infraestrutura do porto necessária para torná-lo totalmente operacional e estamos evoluindo rumo ao ciclo do desenvolvimento industrial do complexo”.