Fórum Regional Nordeste Export será lançado em março, no Recife

Integrado à programação regional do Fórum Nacional de Logística e Infraestrutura Portuária Brasil Export, programado para os dias 19 e 20 de outubro, em Brasília, o evento no Nordeste será lançado dia 3 de março, no Centro Administrativo do Porto de Suape, com a presença dos integrantes do Comitê Orientador, autoridades e representantes de entidades do setor. Inscrições pelo site http://forumbrasilexport.com.br são grauitas.

O Fórum Regional Nordeste Export será realizado nos dias 15 e 16 de junho, em Recife. A programação é definida pelo Comitê Técnico Orientador, que reúne as principais lideranças e especialistas do setor de logística e infraestrutura portuária. Esse modelo, mais uma vez, irá garantir um amplo e abrangente centro de discussões com temas relevantes e que tragam contribuição para todo o setor logístico portuário nacional, como garante Fabrício Julião, Diretor-Presidente da Una Marketing de Eventos, realizadora dos encontros. “Se depender da animação dos integrantes do Comitê Orientador, o Nordeste Export será um sucesso, inclusive com um espaço especial para debater tecnologia e inovação. Importante também agradecer a parceria do completo de Suape”, diz ele.

Aluísio de Souza Sobreira, Diretor da Merco Shipping Marítima, Vice-Presidente da Câmara Brasileira de Contêineres e Diretor da Associação de Comércio Exterior do Brasil é o coordenador  do Comitê Orientador do Nordeste Export e está entusiasmado: “Na primeira rodada de reuniões, em Recife, a receptividade foi total, todos com quem mantivemos contato vislumbram que o Nordeste Export é uma ferramenta fundamental para promover o comércio exterior na região. Nosso trabalho continua na divulgação e busca de maior participação em outros Estados do Nordeste”, ele diz.

Segundo Sobreira, priorizar o comércio exterior e incentivar nossas exportações é o melhor caminho para sair da crise, gerando desenvolvimento e, consequentemente, aumento no número de empregos e melhor distribuição de renda. “Os maiores desafios são estimular a cultura exportadora na região, reduzir o “custo Brasil” (com menos burocracia) e incentivar a captação de recursos privados, nacionais e estrangeiros, para investimentos de infraestrutura”, afirma

Sobre as características do evento no Nordeste, ele comenta: “O nordestino em geral, em função da massificação da mídia concentrar-se na região sudeste, tem a percepção de que eventos mais focados na realidade econômica do Nordeste poderão produzir um natural efeito positivo para toda a cadeia de produção, incentivando a comercialização de produtos de exportação e importação. Além disso, pode despertar o interesse de operadores logísticos, assim como aos agentes de comércio exterior como um todo (da indústria, do comércio, armadores, tradings, despachantes, operadores portuários, enfim, de toda a cadeia de valores do comércio exterior). O potencial é enorme, visto o Nordeste dispor de uma razoável oferta de infraestrutura e de ter uma posição geográfica estratégica, devido à proximidade com os Estados Unidos, Europa, e, agora, um acesso competitivo à Ásia via o Canal do Panamá, que foi ampliado e modernizado. Tem tudo para ser um grande sucesso”, conclui.

Também Leonardo Cerquinho, presidente do Complexo Industrial Portuário de Suape vê com expectativa muito otimista o evento:

“O principal desafio do setor portuário do Nordeste é conseguir atrair linhas internacionais diretas, em especial da Ásia, de forma a ficar independente da necessidade de transbordo nos portos do Sul e Sudeste do Brasil, tanto para importação, quanto para exportação. Temas como esses serão discutidos e certamente novas soluções serão propostas para a nossa região”.

Luiz Alberto Barros, Diretor de Desenvolvimento de Negócios de Suape, onde está desde 2015, aponta os principais desafios para o setor: “Considerando o potencial logístico do Porto de Suape, tão importante quanto o desafio de atrair novos investimentos geradores de emprego e renda para toda a região Nordeste, será a criação de soluções socioeconômicas por meio da inovação, fortalecendo assim nossos equipamentos portuários e toda a comunidade logística.”

Javier Ramirez é Diretor-Presidente do Tecon Suape (ICTSI Group Company, acredita que o Nordeste Export vai ampliar o potencial de crescimento do setor: “O desafío é abrir novos mercados diretos de exportação desde o nordeste, desenvolvendo uma cadeia logística eficiente  independente dos portos do sul do Brasil, além de continuar desenvolvendo a  boa infraestrutura portuária, aproveitando assim os enormes recursos humanos e naturais da região”.

Ed Dantas, Head de Inovação do Complexo Industrial Portuário de Suape, destaca a questão da inovação: “Nossa meta é encontrar soluções digitais para as questões do Complexo. Creio que o maior desafio é disseminar as ideias inovadoras na comunidade portuária, aproximando as startups de um dos maiores parques tecnológicos do Brasil das indústrias do Complexo Industrial Portuário de Suape”.

Fóruns Regionais

Calendário dos eventos: Norte Export (27 e 28 de abril, Macapá), Sudeste Export (18 e 19 de maio, São Paulo), Nordeste Export (15 e 16 de junho, Recife), Sul Export (3 e 4 de agosto, Curitiba); Centro-Oeste Export (24 e 25 de agosto, Cuiabá).

Comitês Regionais
O comitê nacional do Brasil Export é coordenado por José Roberto Campos. Ricardo Falcão está à frente do Norte Export, o Sudeste Export é liderado por Henry Robinson e Aluísio Sobreira tem a missão de comandar o fórum do Nordeste. O Sul e o Centro-Oeste Export têm coordenação, respectivamente, de Jesualdo Silva e Cesar Meireles.

Informações para a imprensa com Ivani Cardoso pelo telefone (11) 999324765