Porto de Imbituba fará monitoramento aéreo de baleias-francas entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul

Em mais uma jornada em busca das baleias-francas, a SCPAR Porto de Imbituba fará nesta sexta-feira (18) o tradicional sobrevoo de monitoramento sobre a região da APA da Baleia Franca, entre Torres, no Rio Grande do Sul, e Florianópolis, Santa Catarina. A novidade desta vez é que, além de abranger a APA, que completa 20 anos de existência, o monitoramento aéreo também percorrerá todo o litoral do Rio Grande do Sul, iniciando na quinta-feira (17), na cidade de Chuí, e vindo em direção à Santa Catarina. Este sobrevoo estendido vai ocorrer por meio de parceria com o novo projeto de pesquisa do Instituto Australis, o ProFRANCA (Projeto Franca Austral), o qual é patrocinado pelo Programa Petrobras Socioambiental. Os dados coletados servem para ampliar o conhecimento sobre a presença, distribuição e o comportamento da espécie na região.
Entre os meses de julho e novembro, as baleias-francas utilizam o litoral catarinense para acasalar, procriar e amamentar suas crias, tornando o Estado de Santa Catarina a principal área de concentração reprodutiva do animal na costa brasileira. Neste ano, elas também têm sido observadas no litoral gaúcho, razão que impulsionou a extensão do sobrevoo.
“Todos os animais avistados são catalogados por meio de fotografia das calosidades que elas têm em cima da cabeça, que são únicas para cada animal, como se fosse uma digital”, aponta Gilberto Ougo, oceanógrafo da empresa Acquaplan Tecnologia e Consultoria Ambiental, contratada para executar o Plano de Controle Ambiental (PCA) da SCPAR Porto de Imbituba, Autoridade Portuária.
Desde sua criação, há 12 anos, o Programa de Monitoramento das Baleias-Francas contempla duas metodologias: o monitoramento aéreo e a observação terrestre dos mamíferos marinhos (baleias, golfinhos, dentre outros). “Este é um trabalho que foca na conservação das baleias e de seu habitat natural, ao mesmo tempo em que dá continuidade às operações portuárias de forma sustentável e responsável”, destaca Camila Amorim, gerente de Saúde, Segurança e Meio Ambiente da SCPAR. A atuação do porto já foi reconhecida com quatro premiações.