Portos do Sul em fase de expansão e novos projetos

Fernando Estima, Superintendente do Porto de Rio Grande foi o convidado desta terça (26) na Videoconferência do Fórum Nacional Brasil Export e falou sobre os desafios do complexo e a mudança em desenvolvimento do modelo de autarquia para empresa pública, um modelo que, segundo ele estava sendo exigido pelo setor.

Para ele, é importante nesse novo modelo de gestão pública a integração com o complexo hidroviária, que é uma grande riqueza no Rio Grande do Sul, e os distritos industriais.

Rio Grande teve os melhores quatro meses dos últimos 11 anos, em plena pandemia. “O agronegócio com a soja e os fertilizantes, principalmente fizeram muita diferença. O Rio Grande está se preparando para o desenvolvimento natural na questão do abastecimento. Vamos apostar na logística reversa na movimentação de fertilizantes (14% do volume do Brasil, perde para os portos do Paraná e Santos), o mercado é estratégico e por isso precisamos de uma gestão com dinamismo para nos moldarmos ao que a demanda apresentar”, acrescentou.

Outro destaque em sua fala foi a questão da dragagem, processo que vem sendo executado com muito apoio da praticagem: “Há sinais de uma retomada importante do setor da dragagem, que assumimos num cenário muito complexo, mas conseguimos construir o canal com 18 meros de profundidade. Foram R$ 500 milhões para a obra, estamos realizando o processo de homologação do calado com a Marinha para sete trechos e em dois ou três meses deve estar finalizado”.

 

Bons resultados

Neste primeiro quadrimestre os portos do Rio Grande do Sul tiveram crescimento de 4,89%, em comparação com o mesmo período de 2019, considerado o de melhor desempenho dos último cinco anos.

Porto Alegre, Pelotas e Rio Grande somaram mais de 11,8 milhões de toneladas movimentadas. O resultado positivo foi motivado pelas exportações de soja no Porto do Rio Grande, que registrou um aumento de mais de 67% em relação ao mesmo período do ano passado.