Investimentos no Porto de Santos mostram acerto da política pública de concessões, aponta ministro Tarcísio

O investimento de R$ 600 milhões na construção de uma linha férrea e na ampliação de dois cais privados no Porto de Santos é reflexo da política pública do Governo Federal, por meio do Ministério da Infraestrutura, em conceder ativos para a iniciativa privada. Feita pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, a avaliação ocorreu na última sexta-feira (26) durante agenda oficial ao maior porto da América do Sul.

A agenda no litoral para reuniões e vistorias técnicas, teve a inaugurações de três novos empreendimentos no porto: a 3ª Linha do Paquetá, que integra o sistema ferroviário do Porto de Santos (Portofer); Inauguração do píer da Ageo, na Ilha do Barnabé; e a entrega oficial das obras de extensão e aprofundamento do Cais do Tecon. A agenda também contou com a presença dos secretários nacionais de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloni, e de Transportes Terrestres, Marcello Costa.

“Isso mostra acerto da política pública”, afirmou o ministro da Infraestrutura, em referência ao investimento privado no Porto de Santos. “O pacote de R$ 600 milhões que estão sendo entregues hoje faz parte de [R$] 3,2 bilhões de investimento em andamento. E têm mais R$ 6 bilhões que estão por vir nos próximos anos, fruto desses contratos de arrendamento que foram feitos, e também das renovações antecipadas de contratos dos terminais”, acrescentou.

Integração

O primeiro compromisso da agenda foi a inauguração da Terceira Linha do Paquetá, que integra o sistema ferroviário do Porto de Santos (Portofer), entrada e saída de trens aos terminais de grãos e celulose presentes na margem direita do porto. Responsável pelas obras, a empresa Rumo investiu R$ 23 milhões na construção de 1.962 metros de novos trilhos, que irão servir de apoio às manobras de vagões vazios. Com o empreendimento, a capacidade das linhas praticamente dobra, podendo chegar a 35 faixas (passagens de trem) por dia.

Na sequência, o ministro participou da inauguração do píer de atracação feito pela Ageo para navios de granéis líquidos com calado de 15 metros. Com capacidade de 80.000 DWT, a nova estrutura fica no terminal de líquidos da empresa, na Ilha do Barnabé, e é a segunda do tipo construída pela Ageo para o Porto de Santos. O investimento de R$ 128 milhões deve resultar no aumento da capacidade de atracação de navios de granéis líquidos que se destinam ao porto.

Embarque

Já as obras de extensão e aprofundamento do Cais do Tecon Santos, com investimento de R$ 450 milhões, fazem parte da primeira fase do projeto de ampliação e modernização do terminal pela empresa Santos Brasil. No total, serão investidos R$ 1,5 bilhão até 2031 para aumentar a produtividade operacional, a eficiência energética, a velocidade e o fluxo da operação. Agora, o Tecon Santos é o único terminal de contêineres da América do Sul com capacidade de receber simultaneamente até três navios New Panamax, de 366m – as maiores embarcações previstas para chegar ao país. Equipe e conselheiros do Brasil Export acompanharam a atividade in loco.

No Gate 19 do Porto de Santos, o ministro acompanhou o primeiro embarque dos fardos de celulose produzidos pela Bracell, no terminal STS 14A, arrematado pela companhia em leilão realizado em agosto de 2020. Após o embarque, o navio carregado com 58 mil toneladas de celulose, irá seguir para Qingdao e Changshu, na China.

As informações são da Assessoria Especial de Comunicação do Ministério da Infraestrutura.