Consórcio da EcoRodovias vence leilão da BR-153/080/414/TO/GO, a primeira concessão rodoviária realizada em modelo híbrido

O grupo EcoRodovias, por meio da parceria com a GLP no Consórcio Eco 153, venceu o leilão de concessão da BR-153/080/414/TO/GO em concorrência realizada na tarde desta quinta-feira, 29 de abril, na sede da B3, em São Paulo. O trecho concedido compreende 850,7 quilômetros de extensão entre os municípios de Anápolis (GO) e Aliança do Tocantins (TO). “O leilão de hoje marca uma nova era para as concessões de rodovias”, destacou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afinal é o primeiro projeto da pasta que utiliza o modelo híbrido, no qual vence o leilão aquele que oferecer a menor tarifa de pedágio.

Com a outorga de R$ 320 milhões, 75% do total – equivalente a R$ 960 milhões – serão destinados para a conta vinculada que deverá ser usada em obras no Tocantins. O valor final do pedágio, por quilômetro, ficou em R$ 0,10218, após desconto máximo na tarifa de 16,25%. No total, a BR-153/080/414/TO/GO receberá cerca de R$ 14 bilhões em investimentos, entre duplicações e melhorias na segurança viária (R$ 7,8 bi) e a contratação de serviços ao usuário (R$ 6,2 bi).

Além disso, o projeto abrange a implantação de faixas adicionais, vias marginais, dispositivos de interconexão em desnível, passarelas de pedestres, passagens inferiores, iluminação nas travessias urbanas e nas vias marginais, dentre outras melhorias. Também está previsto o atendimento 24 horas ao usuário que utilizar a via.

A EcoRodovias terá o direito de exploração dos trechos rodoviários pelos próximos 35 anos. A rota é muito relevante para o agronegócio brasileiro, conectando os estados de Tocantins, Maranhão, Pará e Amapá com a Região Centro-Sul do País. A expectativa é que sejam gerados ao longo do contrato quase 120 mil novos postos de trabalho.

“Vamos fechar o mês de abril com 30 ativos transferidos para a inciativa privada. Conseguimos atrair a atenção dos melhores, que acreditaram no Brasil para este leilão”, disse o ministro em relação ao Consórcio vencedor. “Nossos projetos são muito bem estruturados e atrativos para os investidores. Vamos ter ainda muitos leilões grandes, como a Nova Dutra e a BR-381/MG”, concluiu.