Conheça todos os mistérios de um hackaton

O que os jovens, ligados à inovação e tecnologia, têm a ver com logística portuária? Se depender do Brasil Hack Export eles vão fazer a diferença e apresentar soluções para os grandes desafios do setor. A competição nacional de inovação e tecnologia é coordenada por Angelino Caputo, Conselheiro do Brasil Export e Diretor-Executivo da ABTRA, tem realização do Brasil Export e a parceria da Zero Treze Innovation Space

Os desafios acontecerão inicialmente nas edições regionais e a grande final será no Fórum Nacional, em novembro, em Brasília. Os interessados podem se inscrever pelo site www.brasilhackexport.com.br.

Fabrício Julião, CEO do Brasil Export, explica que participarão 20 equipes no total, e em cada etapa serão escolhidas três vencedoras, que apresentarão soluções para desafios selecionados pelos Conselheiros dos fóruns, em cada região.

Angelino Caputo complementa sua participação, destacando que a missão da ABRTRA é fomentar a visão tecnológica no setor de logística portuária, para dar mais visibilidade ao comércio exterior do país.

Para entender melhor como será o Brasil Hack Export, entrevistamos Marco Riveiros, CEO e Founder da Zero Treze Innovation Space. Confira:

O que é um hackaton?
Hackathon significa maratona de programação. O termo resulta de uma combinação das palavras inglesas “hack” (programar de forma excepcional) e “marathon” (maratona). Nesses eventos, os participantes têm a oportunidade de concorrer a prêmios, conhecer outros profissionais da área e fazer Networking ou participar de um projeto colaborativo em um ambiente específico de programação.

Qual é o foco desses eventos?
O que faz um evento como esse ser um sucesso é o desafio, lembrando que não pode faltar a diversão. As pessoas disponibilizam seu tempo para resolver um problema e é importante que se sintam bem à vontade, ou seja, participem da maratona com entusiasmo do início ao fim. Nem todos vencem as maratonas, mas todos deixam legados de grande valor para a sociedade.

Qual é o objetivo?
O Hackathon é um evento que reúne programadores, designers e outros profissionais ligados ao desenvolvimento de software ou aos mercados ligados ao desafio para uma maratona de programação, cujo objetivo é desenvolver um software ou solução tecnológica que atenda a um fim específico. A maratona pode durar entre um dia ou uma semana.

Qual é o perfil do público que participa?
Estudantes e especialistas das áreas de inovação, tecnologia, design, marketing, produtos e negócios, que se dividem em três papéis fundamentais na competição: competidores, mentores, Jurados.

Como é o aproveitamento do conteúdo dos vencedores?
Existem algumas formas de se aproveitar os projetos oriundos de um hackathon, porém o principal é o fomento, investimento necessário para apoiar o time desenvolvedor a tirar aquela ideia do papel e validá-la no mercado ou na sua empresa, através do MVP (mínimo produto viável) para identificar o potencial real da solução.

Como estão esses eventos no Brasil?
Hackathon virou uma ferramenta de atração de talentos pelas empresas, uma forma de conhecer mais a fundo o potencial desafiado desses talentos e conquistá-los. Ainda tem ajudado as empresas a potencializar seus brainstorms, trazendo muita visão de fora para dentro do seu negócio. Posso dizer que é uma poderosa ferramenta para engajar e preparar estudantes para o mercado de trabalho. Diversos segmentos, incluindo os mais densos e conservadores, já fizeram ou continuam promovendo seus hackathons.

O que é um Mentor em um hackaton?

O Mentor tem um papel muito especial no hackathon, seu trabalho é um ato voluntário de compartilhar sua experiência e conhecimento aos competidores de forma desprendida, para que eles possam exercer o máximo de seu potencial criativo com foco, direção e precisão ao solucionar o desafio proposto. Em um hackathon, os mentores do desafio são especialistas do mercado que conseguem detalhar do macro para o micro o problema real a ser resolvido. Esses mentores contam, sob várias perspectivas, a dor do negócio, mas de forma alguma eles sugerem ideias próprias, apenas apontam direções para que os times possam ter total autonomia de criação e ideação.

Eles definem se a solução é viável?

Para isso também temos os mentores especialistas em metodologias ágeis de design de ideias, negócios, produtos ou serviços que dão apoio aos times, ensinando seus métodos e melhores práticas para chegar a uma ideia viável, aplicável e aderente ao desafio. Logo depois vêm os mentores de tecnologia, que tiram dúvidas ou até ensinam a usar as plataformas tecnológicas propostas pelo evento, para que as ideias saiam do papel e, ao final, surjam protótipos funcionais para demonstração. Por fim, os mentores de Pitch que que vão ensinar como colocar tudo isso em um vídeo ou apresentação de 5 minutos para convencer os jurados que sua solução merece vencer o Hackathon.

Como as equipes trabalham os desafios apresentados?
Todo o processo é acompanhado pelos organizadores e mentores de forma a garantir que todos os times cumpram a agenda e atividades necessárias para completar todo o processo até chegar à banca de júri, com todas as entregas feitas. Os projetos são pré-apresentados nas oficinas de Pitch Review, quando são feitos os ajustes finais.  Os desenvolvedores costumam apresentar seus protótipos para os mentores para validar conceitos e ideias no decorrer do evento.

As seletivas e os temas por evento regional:

Norte Export – Hidrovias – 20 de setembro a 5 de outubro

Nordeste Export – Ferrovias – 17 a 31 de agosto

Sul Export – Rodovias – 30 de julho a 03 de agosto

Sudeste Export – Portos – 4 a 17 de outubro

Centro-Oeste Export – Escoamento de safra – 30 de agosto a 14 de setembro

Brasil Export – Cadeia Logístico Portuária Integrada – 14 a 23 de novembro

Sobre o Brasil Export

O Fórum Nacional Brasil Export, programado para outubro, em Brasília, é um espaço permanente de debates sobre o setor, reunindo os principais atores da cadeia de logística portuária, agronegócio e multimodalidade.  Como referência do setor e presença constante no ambiente virtual, mantém articulação política e interlocução com autoridades e representantes das principais entidades.

Sobre a ABTRA

A ABTRA (Associação Brasileira de Terminais e Recintos Alfandegados) representa as principais empresas administradoras de recintos alfandegados no País.  Com know-how acumulado ao longo de seus 30 anos de atuação, a ABTRA não mede esforços para consolidar a sua vocação institucional de fomento à inovação tecnológica no setor portuário brasileiro.

Sobre a ZERO TREZE

A Zero Treze é uma startup que promove e embarca inovação tecnológica nas empresas por meio de hackathons ou laboratórios, Nascemos em 2017 dentro de um hackathon, desde então já participamos, vencemos e organizamos mais de 30 Hackathons, através deles nossa empresa cresce 120% ao ano e mesmo jovem já atendemos grandes instituições como BTP, CANON, ZENVIA, ABTRA e agora a UNA EVENTOS.

Site: zerotreze.space

(Texto: Ivani Cardoso)