Carta do Brasil Export 2021

Brasília, 29 de Setembro de 2021

Leitura pelo presidente do Conselho Nacional do Brasil Export, José Roberto Sampaio Campos

A ampla programação do Brasil Export 2021 comprovou a disposição de agentes públicos e privados em trabalhar de modo integrado e com espírito colaborativo. Apesar de suas potencialidades naturais e de formar profissionais competentes em todos os segmentos, o Brasil ainda é uma usina de exigências burocráticas. Somos, também, carentes de infraestrutura mais adequada para crescer.

Por isso, não há mais espaço para divisão nos meandros de nosso setor. O Brasil Export tem caráter multisetorial e é intransigente em promover o diálogo. Aqui, como presidente do Conselho Nacional, reafirmo nosso compromisso em colaborar para um ambiente de negócios mais satisfatório e com maior segurança jurídica.

Essa edição nacional sintetizou as atividades realizadas ao longo do ano, entre elas a promoção de mais de 40 lives e de seis fóruns regionais. Tivemos a oportunidade de ouvir autoridades e as lideranças de nossos conselhos, proporcionando um panorama muito rico das conquistas já obtidas e dos desafios que temos pela frente.

Por um lado, celebramos que nossos portos registraram aumento de 9,4% na movimentação de cargas no primeiro semestre deste ano. Notamos também, por meio da premiação do Rodovias+Brasil, como a infraestrutura nacional de transporte terrestre está melhorando e recebendo inovações. Um passo adiante nesse sentido poderá ser a recente Medida Provisória 1065, que instituiu o novo marco legal do transporte ferroviário. A malha ferroviária brasileira poderá crescer até 25% ao ano somente por meio das possibilidades proporcionadas pela MP.

Por outro lado, sobre o qual não temos satisfação de falar, o Brasil ainda ocupa a posição 124 na lista de 190 nações analisadas pelo relatório Doing Business, iniciativa do Banco Mundial que mede a facilidade de fazer negócios. A complexidade tributária prejudica a saúde financeira de nossas empresas e impede o desenvolvimento de novos empreendimentos. Mesmo com o emprego de muito esforço dos agentes privados, ainda não conseguimos implantar de modo efetivo o transporte multimodal e são muitos os gargalos nos acessos aos portos organizados do País.

Historicamente, não fazemos política de Estado, mas política de Governo. Por isso, é necessário observar a importância de aprovarmos leis sólidas e cobrar respeito a elas pelas instituições. Nesse sentido, precisamos contar com amplo apoio parlamentar. Acompanhamos projetos como a BR do Mar patinando no Congresso e mesmo em nosso evento registramos diversas ausências de parlamentares que tinham se comprometido a participar. Em contrapartida, agradecemos as presenças do senador Wellington Fagundes e da deputada Rosana Valle.

Um ponto alto do Brasil Export 2021 foi a promoção do painel sobre ESG, sigla que em português abrange os fatores ambiental, social e de governança. É possível observar um crescimento exponencial de projetos alinhados com ESG, mesmo nesse período de crise sanitária e econômica. Segundo levantamento da Bloomberg, o mercado global de ESG está estimado em mais de 30 trilhões de dólares, com possibilidade de incremento de até 25% ao ano. Uma pauta com total sinergia com o setor de logística e de infraestrutura, afinal.

A criação do Conselho ESG do Brasil Export mostra nossa preocupação com o futuro da sociedade. Estamos dispostos a atuar mapeando novas tecnologias e privilegiando o uso de “energias verdes”. Um ciclo de atitudes com absoluto compromisso com o futuro. Estamos muito orgulhosos de contar com a Família Schurmann nessa empreitada, por meio de acordo de cooperação técnica selado durante esse nosso evento nacional.

A tecnologia é outro fator que ajuda a quebrar feudos e coloca um grande leque de órgãos colaboradores em sintonia. É urgente acelerar a implantação do tão requisitado 5G. Algumas ações do Governo Federal nos enchem de esperança de estarmos avançando nessa direção, como a implantação do DTE.

O Brasil é um grande exportador de commodities, que têm valores bem inferiores aos dos produtos industrializados. Dessa forma, precisamos reduzir notavelmente os custos de logística para que nossos produtos sejam competitivos. Esse é mais uma das frentes de atuação do Brasil Export, o de instrumento para melhor entendimento entre os players dentro das cadeias de valor.

A realização do Brasil Export representou a oportunidade de fecharmos o nosso ciclo de eventos em 2021, mais um ano que está sendo de muitos desafios. Mas também um ano de conquista de maturidade e para colocar nos trilhos a chance de redefinir o papel da infraestrutura dentro do contexto nacional.

Meu muito obrigado a todos.