Brasil representa quase metade dos relatórios enviados à associação internacional de práticos marítimos

Encerrada no dia 22, o Brasil mais do que dobrou a sua participação na pesquisa anual da Impa (Associação Internacional de Práticos Marítimos). Durante o levantamento, práticos do mundo inteiro relatam as condições que se encontram os dispositivos de acesso aos navios. De acordo com a pesquisa do ano passado, um em cada oito está instalado incorretamente ou malconservado, pondo em risco a vida do prático no embarque e desembarque.

Este ano, os brasileiros enviaram 2.906 relatórios à Impa, quase a metade do total enviado no mundo. Em 2019, foram 1.155 participações do Brasil. Escada de quebra-peito e escada de quebra-peito combinada com escada de portaló são os principais meios de transferência da lancha de prático para o navio e devem estar instaladas em acordo com a Resolução A.1045 da IMO (Organização Marítima Internacional).

“A participação superou em muito os anos anteriores, com mais de seis mil respostas recebidas. Os resultados serão agora apurados e analisados, sendo o relatório anual publicado oportunamente”, informou, em comunicado, o secretário-geral da Impa, Nick Cutmore.

Para o diretor técnico do Conapra (Conselho Nacional de Praticagem), Bruno Fonseca, a participação expressiva dos brasileiros demonstra toda a preocupação com um tema fundamental a todos. “Que as não conformidades apontadas sirvam de alerta e sensibilizem as autoridades competentes e os armadores”, afirmou Fonseca.

Fonte: Praticagem do Brasil