Veja os principais momentos do segundo dia do Centro-Oeste Export

por CLAYTON FREITAS

No segundo e último dia do Centro-Oeste Export foram realizados quatro painéis. Eles reuniram especialistas, dirigentes de entidades, empresários e autoridades. Para conferir como foi o primeiro dia, clique neste link.

Centro-Oeste Export 2021 acontecerá em Goiás

A leitura da Carta do Centro-Oeste Export marcou o encerramento das atividades do primeiro fórum regional realizado especificamente para discutir os gargalos logísticos dos Estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e DF. Ao final da leitura do documento, o presidente do Conselho do Centro-Oeste Export, Edeon Vaz Ferreira, anunciou ontem o Centro-Oeste Export 2021 acontecerá em Goiás.

O encerramento contou com a presença de dirigentes de entidades, empresários e autoridades. Entre essas personalidades estava o senador Wellington Fagundes (PL/MT), presidente da Frenlogi (Frente Parlamentar de Logística e Infraestrutura). “O Brasil ganhou e nossa logística ganhou muito”, afirmou o parlamentar, ao se referir ao evento.

Este foi o quinto e último fórum regional do Brasil Export. Nos próximos dias 23 e 24 de novembro acontece o Brasil Export 2020, grande encontro nacional em Brasília que contará com a participação do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. As inscrições tanto para quem quiser acompanhar presencialmente quanto assistir online já estão abertas e podem ser feitas no endereço http://forumbrasilexport.com.br/inscricoes/

Painel 4

Exportação e competitividade da produção agropecuária brasileira no exterior encerra debates do Centro-Oeste Export

O painel contou com a moderação de Adriano Barzotto, presidente da Aprosoja Goiás e a apresentação coube a Antonio Ballan, diretor de logística do Grupo Caramuru. Ambos são conselheiros do Centro-Oeste Export.

Os expositores foram: José Perboyre, diretor financeiro e administrativo da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal); Luís Rota, diretor de exportação in natura do Grupo JBS; Décio Tocantins, diretor-executivo da Ampa (Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão); Guilherme Nolasco, presidente da Unem (União Nacional do Etanol de Milho) e João Birkhan; fundador do SIM Consult.

Daqui a pouco acontece a cerimônia de encerramento com a presença do senador Wellington Fagundes.

 

 “Exportação e competitividade da produção agropecuária brasileira no exterior”

“No painel iremos focar na logística e nos produtos que o Brasil exporta, quais são esses volumes e o comportamento lá fora”, afirma Edeon Vaz Ferreira, presidente do Conselho do Centro-Oeste Export. Leia mais neste link.

Painel 3

Painel debate gargalos do transporte multimodal do Centro-Oeste

O penúltimo painel do Centro-Oeste Export realizado na tarde desta terça-feira (10), em Rondonópolis (MT), debateu os gargalos do transporte multimodal do Centro-Oeste. A apresentação foi de Lucio Lagemann, assessor de logística na Semagro de Mato Grosso do Sul, e a moderação, de Edeon Vaz Ferreira, diretor-executivo do Movimento Pró Logística de Mato Grosso. Ambos são conselheiros do Centro-Oeste Export.

Os expositores foram: Marcello Costa secretário nacional de Transportes Terrestres do Ministério da Infraestrutura; Dino Antunes Batista, diretor do departamento de Navegação e Hidrovias da Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários; Cesar Meireles, diretor-presidente da Abol (Associação Brasileira de Operadores Logísticos); Denise Deckers, diretora-executiva da Abrapos (Associação Brasileira Pós-Colheita de Grãos); e Guilherme Penin, diretor de relações institucionais e regulação da Rumo.

Costa falou dos investimentos previstos e projetos em parcerias. Dos R$ 257 bilhões previtos, foram realizados R$ 16,7 bilhões. Batista mostrou os principais desafios e gargalos do setor, e mostrou ainda o desempenho das hidrovias, dragagens em curso e prospecções para parcerias com a iniciativa privada.

Meireles, da Abol, lembrou que Brasil Export e os fóruns regionais são “grandes mesas de reunião”. Vice-presidente da Alalog (Associação Latinoamericana de Logística), ele ainda fez uma provocação, perguntando se não seria o momento de colocar a integração regional em pauta. “Digo para os meus colegas da América Latina que vivemos de costas uns para os outros. Integração se dá quando você inclui todas as alianças possíveis”, afirmou.

Em sua participação, Denise Deckers, da Abrapos, lembrou a todos que o armazenamento é parte da logística e precisa ser pensado junto com esta. Penin, da Rumo, detalhou os investimentos na malha.

Painel 3

“Gargalos do transporte multimodal da região Centro-Oeste”

Vamos falar dos gargalos ferroviário, hidroviário, rodoviário e ainda a armazenagem. Entre as questões existentes está a de excesso de documentos para a multimodalidade”, afirma Edeon Vaz Ferreira, presidente do Conselho do Centro-Oeste Export e que atuará como moderador do painel. Leia mais detalhes neste link

Painel 2

Aumento na produção agrícola do Mato Grosso pode ser feito sem derrubar nenhuma árvore, afirma Imea no Centro-Oeste Export

Em apresentação realizada no segundo painel do Centro-Oeste Export, que abordou o potencial econômico e estratégico da região, Cleiton Gauer, gerente de inteligência de mercado do Imea (Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária), afirmou que as projeções de produção do agronegócio para os próximos 10 anos, até 2030, são promissoras e indicam incremento de 66% na safra de soja, de 91% em milho, 39,23% de bovinos e 66% na de suínos em relação a safra 2019/2020. “Esse crescimento dessas agriculturas devem ocorrer sem derrubar nenhuma árvore”, afirma Gauer.

Isso será possível, segundo o especialista, pela expansão da área e migração do sistema produtivo para região a norte e nordeste do Estado. Gauer também trouxe um detalhamento dos dados da produção do Centro-Oeste.

O painel contou com apresentação de Bartolomeu Braz, presidente da Aprosoja Brasil e moderação de Denimarcio Borges, secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável da Prefeitura de Rio Verde/GO. Ambos são conselheiro do Centro-Oeste Export.

 

Entre os expositores, Walter Valverde, secretário-adjunto da Sedec (Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso), Jaime Verruck, secretário estadual de Meio Ambiente, Produção e Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul e Adonídio Neto Vieira Junior, Secretário de Indústria e Comércio de Goiás.

Verruck lembrou que 50% de toda produção do MS tem como destino o mercado chinês. Segundo disse, o Estado busca agregar valor, e, uma das apostas para concretizar isso é a industrialização do milho. Por sua vez, Vieira Junior falou do potencial do Estado no agro e também apresentou dados divulgados há pouco pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que indicam alta de 2,5% na produção industrial de Goiás no acumulado do ano, a maior do País até agora.

PAINEL 2

O potencial econômico e estratégico da região Centro-Oeste

Segundo o presidente do Conselho do Centro-Oeste Export, Edeon Vaz Ferreira, o foco do debate será o do agronegócio, porém, outros temas devem ganhar espaço, tais como os incentivos estaduais, a industrialização e a oportunidade de multimodalidade. Leia mais detalhes neste link.

PAINEL 1

“É ilógico não ter incentivo fiscal para a região Centro-Oeste”, afirma superintendente da Sudeco no Centro-Oeste Export

No painel que inaugurou o segundo e último dia do Centro-Oeste Export, Nelson Vieira Fraga Filho, superintendente da Sudeco (Superintendente da Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste) afirmou ser necessário identificar as regiões que precisam ser desenvolvidas no Centro-Oeste e permitir “facilitar o ingresso das empresas para essas regiões”. “É ilógico não ter incentivo fiscal para a região Centro-Oeste”, afirmou.

Ele disse ainda que a Sudeco pretende atuar como “indutora de investimentos a partir de incentivos fiscais” e, ante a isso, atrair bons projetos.

O painel contou com moderação da advogada Camila Hermano, especializada em direito internacional, e apresentação de Edwal Portilho, presidente da Adial (Associação Pró-Desenvolvimento Industrial do Estado de Goiás). Camila e Portilho são conselheiros do Centro-Oeste Export.

 

O encontro contou ainda com participação de Andreas Kugler, diretor de Investimentos na Temasek, empresa de investimentos em sede em Cingapura.

Painel 1: O papel estratégico da Sudeco e dos fundos de investimento na retomada do crescimento pós-pandemia de Covid-19

A moderação do painel será da advogada Camila Hermano, especialista em direito internacional. Camila também é conselheira do Centro-Oeste Export. “A realização do Centro-Oeste Export trará para o palco um dos temas mais relevantes no contexto da pandemia: como alavancar o crescimento do nosso país e da nossa região, tendo como premissa o desenvolvimento em infraestrutura”, afirma Camila. Leia entrevista feita com a advogada antes do evento neste link.