A linguagem dos hackatons. Vamos aprender?

O Brasil Hack Export vai trazer um novo mundo de experiências e desafios ligados à logística portuária. Para quem não tem muita familiaridade com esse mundo, nem sempre é fácil acompanhar. Mas olha só o que o Marco Riveiros, da Zero Treze, nosso parceiro na área de inovação e tecnologia, preparou: um glossário especial que vai ajudar você a entrar nesse admirável mundo novo.

API (“Application Programming Interface” ou “Interface de Programação de Aplicativos”) – É um conjunto de rotinas e padrões de programação para acesso a um aplicativo de software ou plataforma baseado na Web. Uma API é criada quando uma empresa de software tem a intenção de que outros criadores de software desenvolvam produtos associados ao seu serviço. Existem vários deles que disponibilizam seus códigos e instruções para serem usados em outros sites da maneira mais conveniente para seus usuários. O Google Maps é um dos grandes exemplos na área de APIs. Por meio de seu código original, muitos outros sites e aplicações utilizam os dados do Google Maps adaptando-o da melhor forma a fim de utilizar esse serviço.

Aplicação – Software que faz uso de serviços de rede tais como transferência de arquivos, login remoto e correio eletrônico.

Aplicativo – Software desenvolvido para executar uma função específica, normalmente para o usuário. Em alguns casos, podem desempenhar funções para outros programas como para o sistema operacional.

B2B (Business-to-Business) – Expressão utilizada para indicar operações de comércio eletrônico entre empresas.

B2C (Business-to-Consumer) – Expressão utilizada para indicar operações de comércio eletrônico voltadas para o usuário final.

Big Data – Termo amplamente utilizado na atualidade para nomear conjuntos de dados muito grandes ou complexos, que os aplicativos de processamento de dados tradicionais ainda não conseguem lidar. Os desafios desta área incluem: análise, captura, curadoria de dados, pesquisa, compartilhamento, armazenamento, transferência, visualização e informações sobre privacidade dos dados.

Cloud Computing (Computação em Nuvem) – Refere-se à utilização da memória e da capacidade de armazenamento e cálculo de computadores e servidores compartilhados e interligados por meio da internet, seguindo o princípio da computação em grade.

Comunidade virtual – Conjunto de pessoas unidas por afinidades e interesses que se conhecem pela internet.

Criptografia – Processo de codificação de um arquivo que impede que outras pessoas, além do emissor e receptor, possam ler os dados enviados pela rede.

Criptomoeda – Também conhecido como cryptocurrencies, é um tipo de moeda que funciona na Internet e dispensa o uso de autoridades financeiras regulatórias, como bancos centrais. As transações realizadas via criptomoeda, como por exemplo o bitcoin, e a própria emissão da moeda nesse mercado são totalmente controladas pela oferta e demanda gerada pela própria comunidade de usuários que faz uso dela.

Dados Anonimizados – Dados pessoais convertidos em dados não identificáveis, cujo processo de anonimização não pode ser reversível.

Dados Pseudoanonimizados –  Tipo de dado que sofre um processo de anonimização que possibilita reorganizar e agrupar os dados de modo a identificar indiretamente o indivíduo a quem pertencem.

Dashboard – É a apresentação visual das informações mais importantes e necessárias para alcançar um ou mais objetivos de negócio, consolidadas e ajustadas em uma tela para fácil acompanhamento do seu negócio.

Data Lake – Depósito de dados que os armazena em grandes quantidades e em sua forma bruta, estruturada ou semi-estruturada.

Delay – Tempo de espera de uma ação. Acontece mais tarde do que originalmente planejado ou esperado.

DLP –(Data Loss Prevention ou Prevenção de Perda de Dados) – Refere-se a sistemas e metodologias que possibilitam às empresas a reduzir o risco do vazamento de informações confidenciais. Os sistemas DLPs podem identificar a perda de dados através da identificação do conteúdo, monitoramento e bloqueio de dados sensíveis, ou seja, identificar, monitorar e proteger os informações confidenciais que podem estar em uso (máquinas dos usuários), em movimento (na rede corporativa) ou armazenadas (banco de dados, servidores, etc).

Endpoint – Refere-se a duas “pontas” que estão se comunicando através de um protocolo de comunicação de dados. Também chamamos um computador de endpoint por ser a “ponta final da rede”.

Gateway (Ponte de Ligação) – É uma máquina intermediária geralmente destinada a interligar redes, separar domínios de colisão, ou mesmo traduzir protocolos. Exemplos: roteadores e firewalls, já que ambos servem de intermediários entre o utilizador e a rede.

Hacker – Pessoa com grande habilidade técnica em tecnologia. A imprensa popularizou esse termo com o significado daquele que invade o sistema e utiliza seus conhecimentos para causar danos a redes ou computadores.

Host – Computador Central, também designado por servidor. É responsável por implementar a estrutura de camada de rede de endereçamento.

IOT (Internet of things ou (“Internet das Coisas”) – Termo utilizado para a conexão de basicamente qualquer coisa à internet, seja ela um eletrodoméstico, dispositivo, tênis, enfim, qualquer coisa. a IoT tem tido grande impacto nas empresas, sendo aplicada em projetos e até mesmo na gestão da empresa.

Kickoff – É uma reunião em que todos os participantes do projeto se reúnem para definir objetivos, recursos, restrições, prazos e cronogramas referente ao projeto em pauta. O evento deve ocorrer em um local separado do ambiente de trabalho para facilitar a comunicação e evitar interrupções.

Login – Identificação (nome de usuário) para acesso a um determinado computador ou sistema.

Logoff – Se refere a terminar o uso de um sistema computacional, onde todos os programas são fechados e posteriormente é possível iniciar com outro usuário.

Logon – É o ato da autenticação na entrada de um computador ou sistema.

Logs – É uma expressão utilizada para descrever o processo de registro de eventos relevantes em um sistema computacional.

Nuvem – Nuvem é uma expressão utilizada para batizar serviços de armazenamento na Internet, como o DropboxGoogle Drive e OneDrive. É possível enviar arquivos para a nuvem do seu computador ou fazer backup através destes serviços para que fiquem acessíveis em qualquer lugar do mundo a partir de uma conexão da Internet. A nuvem pode ser pública, privada ou híbrida.

OCR (Optical Character Recognition) – Programa utilizado para reconhecer textos existentes em documentos digitalizados, tornando a informação disponível para ser utilizada.

Overview – Mostra ao usuário uma “visão geral” do sistema ou aplicação.

Plataforma – Expressão utilizada para denominar a tecnologia empregada em determinada infraestrutura de Tecnologia da Informação (TI) ou telecomunicações, garantindo facilidade de integração dos diversos elementos dessa infra-estrutura.

QUERY – Processo de extração de dados de um banco de dados e sua apresentação em uma forma adequada ao uso.

ROI (Return on Investment ou Retorno Sobre o Investimento) – É a mensuração do tempo necessário para retornar o valor investido na aquisição de novas soluções tecnológicas.

RPA (Automação de Processos Robóticos) – Consiste em uma aplicação tecnológica que permite a automatização de processos através de um (software) robô.

Scrum – É uma metodologia ágil para gestão e planejamento de projetos. Inicialmente foi criado e embasado no desenvolvimento de software, porém hoje praticamente é possível usar em todas as áreas de um negócio. No Scrum, os projetos são divididos em ciclos (tipicamente mensais) chamados de Sprints, e é a partir do planejamento da Sprint que começam os resultados.

Single Sign-on – É definido como um único ponto de entrada, ou seja, você necessita se autenticar uma única vez. Isso permite acesso automaticamente a diversos canais de um determinado site ou portal, sem a necessidade de digitar seu login e senha em cada sistema, o que proporciona mais segurança aos seus dados de autenticação.

Site – Endereço na internet onde está hospedada uma página Web.

Software – É um conjunto de códigos desenvolvido para executar funções específicas, normalmente para o usuário.

Software Livre – Denominação dada a determinados aplicativos cujo código-fonte é de domínio público e, em geral, gratuito.

Software Pirata – Cópia não autorizada de um sistema operacional ou aplicativo. Seu uso é ilegal e quem o usa pode ser preso.

Spam – Denominação dada a mensagens de correio eletrônico enviadas e não solicitadas. Essas mensagens, na maior parte das vezes, têm o objetivo de vender um produto ou fazer propaganda de determinado produto ou serviço.

Stakeholders (Interessados): às vezes, os termos a seguir são usados ​​como sinônimos – embora seja necessário observar que há nuances em suas definições: história, história do usuário, história técnica do usuário, item de lista de pendências do produto, PBI e requisitos do produto.

Story Point (Pontos Históricos): unidade de medida aplicada ao tamanho de uma história, como já relacionado com a sequência de Fibonacci.

Story Time (Hora da História): A sessão de trabalho regular em que os itens da lista de pendências são discutidos, refinados e estimados e a lista de pendências é cortada e priorizada.

Tags (“Etiquetas”) – É termo utilizado na Internet para identificar um conteúdo e facilitar a localização de informações associadas a este ou aquele assunto. Por exemplo, ao acessar um blog sobre saúde, você pode descobrir mais informações sobre doenças cardiovasculares ao clicar sobre a respectiva etiqueta. Nas redes sociais, como Twitter e Instagram, as tags ou hashtags servem também para pesquisar fotos ou postagem que utilizem aquela mesma identificação. Esse termo também é utilizado na computação para introduzir alguma marcação em um código, como o HTML, onde é possível mudar a cor da página ou da fonte através de uma tag.

Template – É um modelo a ser seguido, com uma estrutura predefinida que facilita o desenvolvimento e criação do conteúdo a partir de algo construído.

Uptime – Tempo em que o computador fica operacional.

URL (Uniform Resource Locator ou “Localizador Uniforme de Recursos”) – Especificação (em forma de número ou nome) pela qual qualquer recurso da internet pode ser localizado. Endereço Web.

Usabilidade – É a medida de qualidade e eficiência da experiência do usuário com um determinado produto.

XML (Extended Markup Language) – Assim como o HTML, é um conjunto de códigos que podem ser utilizados na construção de uma página da Internet. Esse padrão também utiliza tag e atributos para o desenvolvimento de sites, por exemplo. No entanto, a principal diferença entre os dois é que o HTML descreve a aparências e ações de uma página enquanto o XML é responsável por discriminar o conteúdo do documento de um site, apresentando vantagens e desvantagens.

Saiba mais:

https://www.brasilhackexport.com.br